Quem somos

A nossa história

 

Todas as Histórias, sejam elas de um País, de um Povo, de uma Instituição ou de uma só pessoa são muito mais do que uma simples cronologia. Os acontecimentos e os factos mais relevantes ficam datados e cinzelados na memória, mas entre eles e na génese deles, fluí sempre uma vida plena de preocupações e alegrias, de angústias e esperanças, de canseiras e recompensas e, também, de fugazes momentos de abatimento logo apagados por outros onde um sorriso surge como reflexo de que tudo vale a pena.
É, afinal, a Vida vivida com intensidade, muita dedicação e muitas emoções.
Assim tem vindo a ser escrita a História da APPACDM do Porto. Não será diferente de muitas outras, mas esta é a nossa.
A história de uma Instituição, como é a APPACDM do Porto, não acaba com a sua última realização. Tendo em conta as grandes necessidades e carências existentes nesta grande cidade, não é possível ficar estático olhando para o passado e para o presente. A dinâmica da APPACDM do Porto é no sentido de caminhar em frente, encarando o futuro com coragem e determinação, preservando, contudo, a obra feita.

 

 

 

 

APPACDMPorto - 2016
  • 1969
  • Nascimento da primeira delegação do Porto

    Dezembro

    A APPACDM do Porto, riquíssima de vivências, nasce em dezembro de 1969 como Delegação, com a criação do seu 1º Centro localizado na Rua Faria Guimarães, nº 646. A abertura deste Centro foi precedida de uma sessão realizada na Sede do Porto da Ordem dos Médicos com a colaboração de médicos da equipa clínica de Lisboa, do Dr. Naguerol, Pedo-Psiquiatra de Espanha, do Pai Sr. António Rodrigues da Silva (Porto) e do Dr. Mário Taborda, conceituado Psiquiatra do Porto.

  • D. Maria Isabel Brito e Cunha

    Dezembro

    Depois de algumas vicissitudes, a orientação da então Delegação do Porto da APPACDM foi entregue pela fundadora da Associação, Drª Alice de Mello Tavares, à Exma. D. Maria Isabel de Brito e Cunha (mãe de uma criança com Síndrome de Down), ao Sr. Padre Manuel Romero Vila e ao Dr. Abílio Manuel Aranha Furtado de Mendonça. Estas pessoas e, em particular, a D. Maria Isabel de Brito e Cunha, imprimiram então uma nova dinâmica à vida da Delegação.

  • 1971
  • Rua do Pinheiro Manso

    dezembro

    Em dezembro de 1971 efetuou-se a mudança das instalações para a Rua do Pinheiro Manso que ofereciam melhores condições de trabalho.

  • 1973
  • Centro de Vila Nova de Gaia

    18 de março

    Em 18 de Março de 1973, abre-se um novo Centro com Unidade Educacional, em Vila Nova de Gaia, na Rua da Rasa.

  • Dois centros em funcionamento

    18 de março

    Seguiram-se anos de intenso trabalho, não só para manter em funcionamento os dois Centros existentes, mas, principalmente, para sensibilizar os Pais e a Comunidade. Tarefa difícil, lenta e desgastante porque a quase total ausência de informação, as reservas de cada um, os equívocos, e a falta de recursos humanos e financeiros, obrigavam os responsáveis de então, autênticos pioneiros no rasgar dos nevoeiros que obscureciam as mentalidades e os poderes institucionalizados, a um trabalho perseverante amparado pela esperança.

  • 1977
  • Centro da Senhora da Hora

    novembro

    Em novembro desse mesmo ano, abre-se mais um Centro na freguesia da Senhora da Hora, em Matosinhos. Ainda, nesse ano, foi aberto o Centro de Baltar “Emaús” que, a partir de 1985, viria a desligar-se da nossa Associação para prosseguir o seu caminho, independentemente.

  • Rua Tenente Valadim

    02/11/2014

    E a Delegação foi crescendo e cimentando a sua credibilidade. Em 1977, acontece nova transferência das instalações da Unidade Educacional para um prédio na Rua Tenente Valadim.

  • Unidade Educacional, Matosinhos

    02/11/2014

    Abertura da Unidade Educacional na Rua dos Lagos nº 48, Senhora da Hora, Matosinhos

  • 1982
  • Unidade de Integração em Jardins de Infância Regulares, Matosinhos

    02/23/2014

    Abertura da Unidade de Integração em Jardins de Infância Regulares na Rua dos Lagos nº 48, Senhora da Hora.

  • Rua Gonçalo Cristóvão (serviços centrais)

    março

    Em março de 1983, entenderam os responsáveis de então que a dimensão da Delegação obrigava a um espaço próprio para os Serviços Centrais (Direção, Gestão, Administração, Biblioteca, Gabinete de Estudos e Planeamento) e, nesse sentido, foi alugado o 13º andar do nº 128 da Rua Gonçalo Cristóvão onde passaram a funcionar aqueles serviços.

  • 1983
  • Lar da Pousada dos Rouxinóis

    11 de abril

    Ainda em 1983, no dia 11 de abril, é inaugurado no Bairro de Contumil, o Centro de Bem-Estar (Lar Transitório) designado por “Pousada dos Rouxinóis”, destinado a residência temporária de pessoas com deficiência intelectual profunda ou severamente incapacitadas e com o objetivo de proporcionar às respetivas famílias alguns períodos de descanso. Cremos ter sido pioneiro, em Portugal, este tipo de resposta.

  • Centro de Monte Alegre

    02/11/2014

    Abertura da Unidade de Ajuda pelo Trabalho (hoje CAO) na Rua de Monte Alegre nº 257.

  • Unidade de Estimulação Precoce

    02/11/2014

    Abertura da Unidade de Integração em Jardins de Infância Regulares e da Unidade de Estimulação Precoce na Rua Tenente Valadim nº 157.

  • 1984
  • Unidade de Integração em Jardins de Infância Regulares, Vila Nova de Gaia

    02/23/2014

    Abertura da Unidade de Integração em Jardins de Infância Regulares na Rua da Rasa nº 510, Vila Nova de Gaia.

  • 1986
  • Centro Educacional da Trofa

    21 de Abril –

    Em 21 de Abril de 1986 inaugura-se o Centro Educacional da Trofa depois de alguns anos de esforçado trabalho de algumas pessoas daquela localidade.

  • Centro em Vila Nova de Gaia

    , 28 de Outubro

    Em 28 de Outubro de 1986, inaugura-se em Vila Nova de Gaia um pavilhão para atendimento a 10 pessoas com deficiência intelectual profunda.

  • Unidade de Estimulação Precoce, Matosinhos

    , 28 de Outubro

    Abertura da Unidade de Estimulação Precoce na Rua dos Lagos nº 48, Senhora da Hora.

  • Unidade Educacional, Santo Tirso (Trofa)

    Abertura da Unidade Educacional em Valdeirigo, Santo Tirso (Trofa)

  • 1987
  • Centro Dr. Leonardo Coimbra

    Na sequência de negociações com o Centro Regional de Segurança Social, é transferida para o âmbito da Delegação do Porto da APPACDM a gestão do edifício construído pelo Dr. Leonardo Coimbra, em S. Mamede de Infesta (Matosinhos) que, após o falecimento daquele benemérito, estava a ser gerido pelo referido Centro Regional de Segurança Social. Mercê do protocolo estabelecido entre as duas entidades, a Delegação do Porto da APPACDM abre, em 1987, uma Unidade de Aprendizagem de Tarefas para 70 clientes ao mesmo tempo que dava continuidade ao serviço educacional que vinha sendo gerido por aquele Centro Regional e cujos clientes, em número de 40, foram progressivamente absorvidos por outras áreas que se foram criando.

  • Unidade de Estimulação e Treino de Autonomia, Vila Nova de Gaia

    02/11/2014

    Abertura da Unidade de Estimulação e Treino de Autonomia na Rua da Rasa nº 510, Vila Nova de Gaia.

  • Unidade de Ajuda pelo Trabalho, Vila Nova de Gaia

    Abertura da Unidade de Ajuda pelo Trabalho na Rua da Rasa nº 510, Vila Nova de Gaia.

  • 1990
  • Unidade de Estimulação e Treino de Autonomia e Unidade Ocupacional, Matosinhos

    Abertura da Unidade de Estimulação e Treino de Autonomia e da Unidade Ocupacional na Rua Dr. Leonardo Coimbra, S. Mamede de Infesta.

  • 1991
  • Unidade Artística/Desportiva, Matosinhos

    Abertura da Unidade Artística/Desportiva na Rua Dr. Leonardo Coimbra, S. Mamede de Infesta.

  • 1992
  • Lar Residencial do Cerco

    18 de dezembro

    Em 18 de Dezembro de 1992, com a presença de Sua Excia. Rev.ma o Bispo do Porto e de outras individualidades, é inaugurada a 1ª Residência para 12 pessoas com deficiência intelectual sem retaguarda familiar, instalada em dois andares contíguos cedidos pela Câmara Municipal do Porto e localizados num prédio do Bairro do Cerco. O panorama de serviços da Delegação do Porto sofria, em fins de 1992, de algum gigantismo que corria o risco de colidir com a qualidade que sempre foi exigida pelos seus responsáveis.

  • Criação das delegações de Vila Nova de Gaia, de Matosinhos e da Trofa

    19 de dezembro

    Ora perante este quadro e sentindo-se que era tempo de os responsáveis locais deverem assumir o rumo dos seus próprios destinos, a Delegação do Porto promoveu a sua independência, propondo a criação das Delegações de Vila Nova de Gaia, de Matosinhos e da Trofa o que veio a ser aprovado na Assembleia Geral de Delegados realizada, em Lisboa (Centro Bonny Stilwell), no dia 19 de dezembro de 1992. Assim, e celebrados que foram os respetivos protocolos com o Centro Regional de Segurança Social do Norte para a transferência de responsabilidades, direitos e obrigações, a Delegação de Matosinhos iniciou o seu funcionamento independente em 1 de Janeiro de 1994 e a da Trofa em 23 de Julho de 1994. Desta forma, ficou a Delegação do Porto com os movimentos mais livres para focalizar toda a sua atenção nos problemas do Concelho do Porto até porque se sabia que o esvaziamento provocado pela criação das Delegações atrás referidas era temporário, porque muito havia a fazer neste Concelho e não só.

  • 1996
  • CAO D. Maria Isabel Brito e Cunha

    abril

    Começou-se, imediatamente, a pensar na utilização do terreno em tempos cedido pela Câmara Municipal do Porto com localização na Freguesia de Aldoar, mais propriamente entre a Rua Baltasar Falcão (a sul), e a Rua Robert Auzelle (a norte). Idealizado que foi o destino a dar a uma parte desse terreno, a construção de um CAO meramente ocupacional para 25 Pessoas com Deficiência Intelectual Profunda, e depois da aprovação do projeto pelo Centro Regional de Segurança Social do Norte para efeitos de obtenção de financiamento parcial pelo PIDDAC, iniciou-se a respetiva construção que, depois de concluída, permitiu a abertura desta nova Unidade em abril de 1996. Em homenagem à grande impulsionadora da Delegação nos seus difíceis primeiros anos, deu-se-lhe o nome de D. Maria Isabel de Brito e Cunha.

  • CAO Vermoim, Maia

    setembro

    Mas, esta Delegação estava atenta às carências de outras zonas do grande Porto. Sabendo-se das dificuldades sentidas na cidade da Maia e por um acordo estabelecido com APADIM (Associação de Pais e Amigos dos Diminuídos e Inadaptados da Maia) foi possível, abrir, em setembro de 1996, um CAO para 10 Pessoas com Deficiência Intelectual, maiores de 16 anos, instalado na Urbanização do Sobreiro – Bloco 29 – Vermoim – Maia.

  • 1997
  • CAO Dr. Rui Abrunhosa

    maio

    Entretanto, por iniciativa do MADI (Movimento de Apoio ao Diminuído Intelectual), decorriam negociações entre esta Instituição e a nossa Delegação com vista à utilização e gestão de um edifício construído por aquele Movimento com verbas exclusivas da Segurança Social. Depois de alguns ajustamentos e formalizado o respetivo protocolo, foi possível, em Maio de 1997, transferir para este edifício, localizado também na Freguesia de Aldoar, na Travessa da Costibela, 85, alguns dos Serviços localizados na Rua Tenente Valadim, os Serviços Centrais sediados até então na Rua Gonçalo Cristóvão, ao mesmo tempo que se abria mais um CAO para 40 clientes moderados e ligeiros. Entendeu a Direção designar este novo espaço como Centro Dr. Rui Abrunhosa, em homenagem a esse Homem, que muito trabalhou e se esforçou pela causa das pessoas com Deficiência Intelectual e pela APPACDM, em particular.

  • 1998
  • Lar Residencial de Gonçalo Cristóvão

    fevereiro

    Logo após a transferência dos Serviços Centrais, e atendendo à grande necessidade de resposta aos casos de Pessoas com Deficiência Intelectual e com ausência de retaguarda familiar, começou a preparar-se e a equipar-se o espaço desocupado para uma Residência capaz de acolher 12 pessoas com deficiência ligeira e moderada, mas com alguma autonomia. E, desse modo, nasceu em fevereiro de 1998, a nossa segunda Residência.

  • 2000
  • APPACDM do Porto

    5 de fevereiro

    No ano de 2000, coincidindo com o fim do Séc. XX, terminou oficialmente a Delegação do Porto da APPACDM. Devido a algumas circunstâncias nascidas em sede do Registo Nacional de Pessoas Coletivas todas as Delegações espelhadas pelo País, tiveram que se constituir em Associações próprias e independentes. Assim aconteceu com a Delegação do Porto que, na sequência de uma deliberação da Assembleia Geral de Delegados de 05 de Fevereiro de 2000, deixou de ser Delegação da APPACDM e passou a designar-se por APPACDM do Porto – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental.

  • CAO das Antas

    1 de março

    Em 01 março de 2000, nas Antas, na Rua Oliveira Santos, 64, Bloco 5 – Caves 72 e 76, num espaço cedido pela Câmara Municipal do Porto, nasce mais um de Centro de Atividades Ocupacionais para 20 clientes.

  • Primeiros Estatutos da APPACDM do Porto

    25 de março

    Os novos Estatutos são aprovados pela Assembleia Geral de Associados de 25 de Março de 2000.

  • Lar Residencial das Antas

    1 de abril

    Em 01 de Abril de 2000, abre-se uma nova Residência, para 12 clientes, nas Antas, na Rua Carlos Graça, 59, Bloco 5 – 1º, mercê da cedência por parte da Câmara Municipal do Porto de dois apartamentos T3 e T4.

  • Lavandaria no CAO D. Maria Isabel Brito e Cunha

    3 de abril

    Em 03 de abril de 2000, data do registo no 7º Bairro Fiscal, deu-se início às atividades desenvolvidas na Lavandaria, como Empresa de Inserção, num pavilhão propositadamente construído para o efeito no terreno onde se situa o Centro de Atividades Ocupacionais D. Maria Isabel Brito e Cunha, na Rua Baltazar Falcão, 137.

  • Escritura Notarial da APPACDM do Porto

    5 de junho

    Constituição formal através de Escritura Notarial celebrada em 05 de Junho do mesmo ano, na Secretária Notarial de Matosinhos.

  • Publicação em Diário da República

    19 de julho

    Publicação em Diário da República, Série III, nº 165 (pág. 15.460-12), de 19 de julho de 2000.

  • 2001
  • Registo como IPSS

    29 de janeiro

    Registo como IPSS, no Livro nº 9 (fls 35, 36; 36 verso) das Associações de Solidariedade Social, com data de 29 de janeiro de 2001.

  • 2003
  • CAO S. Pedro de Avioso

    1 de dezembro

    A população com deficiência intelectual da cidade da Maia exigia que ali se desenvolvessem mais unidades de atendimento, visto que o CAO a funcionar no Bairro do Sobreiro, era de todo insuficiente. Assim, com o financiamento da POEFDS, Medida 5.6, e com o próprio esforço da APPACDM do Porto, foi adquirido uma moradia na Rua Nova de Quirás, 206, freguesia de S. Pedro de Avioso que, depois de obras de adaptação, permitiu o atendimento a mais 25 clientes na área de Atividades Ocupacionais, com início em 01 de dezembro de 2003.

  • 2006
  • Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade

    maio

    Em janeiro de 2005, visando a continuidade da melhoria dos serviços prestados, deu-se início ao processo de implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade, segundo a NP EN ISO 9001: 2000, tendo em vista a Certificação da APPACDM do Porto, obtida em maio de 2006. Em outubro de 2007, foi confirmada a continuidade da Certificação, depois de, em junho, se ter realizado a 1ª Auditoria de Acompanhamento o mesmo tendo acontecido em junho de 2008, após se ter realizado a 2ª Auditoria de Acompanhamento.

  • 2009
  • Renovação da Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade

    maio

    Em maio de 2009, realizou-se a Auditoria de Renovação que garantiu a conformidade do Sistema de Gestão de Qualidade com os requisitos da NP EN ISO 9001: 2008. A que se seguiu em abril de 2010, a 1ª Auditoria de Acompanhamento.

  • 2010
  • Lar Residencial Dr. Rui Abrunhosa

    março

    Em março de 2010, mediante protocolo entre o MADI e a Segurança Social, abriu-se uma nova residência, para 14 Pessoas com Deficiência Intelectual Moderada e Severa, em Aldoar.

  • 2011
  • Extinção do Centro de Tenente Valadim

    fevereiro

    Em fevereiro de 2011 procedeu-se à transferência de instalações do Centro de Atividades Ocupacionais de Tenente Valadim para o Centro Dr. Rui Abrunhosa.

  • Extinção do Lar Residencial de Gonçalo Cristóvão

    setembro

    Em setembro de 2011 procedeu-se à extinção da Residência de Gonçalo Cristóvão e à transformação da Pousada dos Rouxinóis numa Residência para 15 pessoas.

  • 2012
  • Reformulação do CAAAPD

    02/23/2014

    Já no ano de 2012, reformulou-se o funcionamento Centro de Atendimento/Acompanhamento e Animação para Pessoas com Deficiência, valência que proporciona a participação dos clientes em vários Ateliers, como por exemplo música, hipoterapia, entre outras.

  • 2016
  • Adequação do CAARPD

    setembro

    O CAAAPD passa a designar-se, em 2016, Centro de Atendimento, Acompanhamento e Reabilitação Social para Pessoas com Deficiência e Incapacidade.

  • Novo Logótipo

    novembro

    Em novembro de 2016, sob proposta da Direção e com aprovação unânime da Assembleia Geral de Associados, deu-se um novo rumo: acendeu-se a segunda vela do logótipo.